quarta-feira, 21 de dezembro de 2011

Avanço das novidades SdE para 2012

Apesar de a lista avançada pela SdE ser provisória e, portanto, sujeita a alterações futuras, confesso que já comecei a ter algumas dores na carteira. Pois é, adivinha-se um verdadeiro festim para os fãs de fantasia com a publicação de, entre outros, Marion Zimmer Bradley, Anne Bishop, Martin. Robin Hobb, Feist, Durham e jacqueline Carey.
Fica, então, a lista:

JANEIRO
Bruxa de Elite - Kim Harrison
Sangue Fresco – Contos – Um Toque de Sangue – Charlaine Harris
Acacia – Presságios de Inverno – David Durham
O Lado Negro da Lua – Sherrilyn Kenyon
Os Reinos do Caos – G.R.R. Martin

FEVEREIRO
A Cruz de Morrigan – Nora Roberts
Sombras Radiantes – Melissa Marr
Mago – Trevas de Sethanon – Raymond Feist
Rios de Prata – R. A. Salvatore
A Senhora da Magia – Marion Zimmer Bradley
Despertada – PC Cast

MARÇO
Staying at Daisy's – Jill Mansell
O Avatar de Kushiel – Jacqueline Carey
Testemunha Mortal – R.D. Robb
Silver Borne – Patricia Briggs
Highlander – Para Além da Névoa - KMM

ABRIL
The Dream Hunter – Sherrilyn Kenyon
S. Fresco V11 Dead Reckoning – Charlaine Harris
Oceanos de Fogo – Christine Feehan

MAIO
A Dança dos Deuses – Nora Roberts
A Luz e as Trevas (V2 de Os Pilares do Mundo) – Anne Bishop
For a Few Demons More – Kim Harrison
Seduced by Moonlight – L.K Hamilton
A Jóia do Halfling – R. A. Salvatore
A Rainha Suprema – Marion Zimmer Bradley
Regresso do Assassino V4 – Robin Hobb

JUNHO
Good at Games – Jill Mansell
Mago – Príncipe Herdeiro – Raymond Feist
Judgement in Death – J. D. Robb
Assassin's Creed – Revelações – Oliver Bowden
Destined – PC Cast

sexta-feira, 16 de dezembro de 2011

Passatempo de Natal

O Natal está à porta e por isso temos, juntamente com a Presença,  um passatempo flash. Sejam rápidos e respondam às questões até às 23:59h de dia 19 de Dezembro e habilitem-se a ganhar um livro + jogo PSP do Gerónimo Stilton, o rato mais inteligente e com mais estilo da actualidade.
Todas as respostas devem ser enviadas até à data e hora acima referidas para sombradoslivros@gmail.com juntamente com nome e morada do participante.


«A Gazeta do Rato, o jornal da Sally Rasmaussen, está a publicar furos extrarráticos: os novos enviados da Escola de Jornalismo Acrobático conseguem deitar a unha às notícias primeiro que qualquer outro! Mas como é possível? Como fazem para saber tudo antecipadamente? Este é um estranho caso para a família Stilton!»            




Alguma vez sonhaste viajar através do Reino da Fantasia? Gostarias de encontrar Bruxas, Sereias, Dragões, Duendes, Gigantes, Fadas…e também Unicórnios, Trolls e Lobisomens? Então parte já para o Reino da Fantasia, com Geronimo Stilton.
Chega agora a Portugal o primeiro videojogo de Geronimo Stilton exclusivo para PSP com base No Reino da Fantasia. O jogo vai manter o espírito do livro e das personagens enquanto proporciona uma aventura gráfica cheia de enigmas adivinhas, ilusões óticas, puzzles e jogos de lógica. Há sete níveis e os gamers terão de superar dez desafios de forma a continuar a história. Aqui encontrarás muitas aventuras e mistérios para resolver, obstáculos para vencer e brincadeiras que alimentam a imaginação.


QUESTÕES:

1- De onde é natural Geronimo Stilton?
2- Quais as áreas em que este rato é formado?
3- Como se chama o jornal mais difundido de Ratázia?
4- Quantos títulos foram editados na colecção Geronimo Stilton da Ed. Presença?

Podem encontrar as respostas aqui e aqui        BOA SORTE

POdem visitar a página oficial aqui
Nota: apenas serão aceites participações de Portugal Continental
Só será aceite uma participação por pessoa e e-mail

quarta-feira, 14 de dezembro de 2011

terça-feira, 13 de dezembro de 2011

A Revolta - Os Jogos da Fome livro III

Título: A Revolta - Jogos da Fome livro III
Autor: Suzanne Collins
Edição: Ed. Presença
Colecção: Via Láctea
Nº de páginas: 280

Katniss Everdeen não devia estar viva. Mas, apesar dos planos do Capitólio, a rapariga em chamas sobreviveu e está agora junto de Gale, da mãe e da irmã no Distrito 13. Recuperando pouco a pouco dos ferimentos que sofreu na arena, Katniss procura adaptar-se à nova realidade: Peeta foi capturado pelo Capitólio, o Distrito 12 já não existe e a revolução está prestes a começar. Agora estão todos a contar com Katniss para continuar a desempenhar o seu papel, assumir a responsabilidade por inúmeras vidas e mudar para sempre o destino de Panem - independentemente de tudo aquilo que terá de sacrificar…

Depois de tantas questões terem ficado em aberto no final de Em Chamas foi com alguma impaciência que esperei por este volume final de Os Jogos da Fome.
Salva numa situação limite e algo anómala, Katniss acorda no Distrito 13, aquele que todos julgavam destruido há vários anos e onde, afinal, a vida decorre de uma forma algo mais normal do que seria de imaginar. Os Rebeldes declararam finalmente guerra aberta ao Capitólio e ao seu terrível presidente mas, de início, as coisas não parecem correr como o esperado. Katniss, a cara da revolta, está hospitalizada e  mentalmente fragilizada e, mesmo quando se começam a notar melhoras físicas, a jovem está reticente em aceitar o papel que a presidente dos rebeldes lhe reservou.

Na verdade, resumi acima, sem querer, os pontos mais fortes do livro. Por um lado, Katnniss é-nos apresentada no momento de maior vulnerabilidade até  à data. A sua força continua lá mas a jovem é constantemente assaltada por dúvidas que a deixam aterrorizada, dúvidas  relacionadas com o passado, com aquilo que fez, com o que poderá fazer e sobretudo com aquilo que querem que ela faça. E este é outro ponto fulcral do qual o leitor cedo se dá conta, se o Capitólio a usou mais que uma vez como imagem de marca e tentou manipulá-la constantemente, a intenção dos Rebeldes não é nada diferente. Aquilo que se espera da personagem principal é precisamente o que os seus inimigos esperavam, que colabore, sorria para as câmaras e obedeça sem questionar.  Mas todos sabemos que Katniss é incapaz de fazer tais coisas...

Achei interessante a forma como a guerra foi conduzida, pelo modo realista como a autora o conseguiu fazer mostrando-nos que as tácticas e técnicas usadas não são muito diferentes seja qual for o "nosso" lado numa guerra. Os comportamentos que eram recriminados quando usados pelo Capitólio são utilizados sem qualquer tipo de problema moral ou ético por parte dos Rebeldes, desde as emissões televisivas, estudadas ao pormenor, ao massacre de inocentes sem justificação aparente. Afinal os vícios da sociedade marcam-nos a todos por igual... A moralidade, a ética e os valores humanos como a lealdade e a amizade, além do amor, obviamente, estão em grande evidência neste volume.
Devo referir ainda o evoluir das relações entre os diversos personagens e o crescimento psicológico de alguns, como Primm que, longe da apagada menina meiga e protegida dos livros anteriores, se revela uma jovem ponderada, corajosa e muito mais independente e segura de si.

Por último, o fim. Embora alguns o pensem surpreendente, eu apenas o penso realista. Suzanne Collins, ainda que escrevendo uma trilogia dirigida a um público mais young adult, não poupou os seu leitores. É um final duro mas pleno de redenção e esperança como o é o final de qualquer conflito bélico. Não fomos poupados à morte injusta, ao sofrimento atroz nem à traição ou às escolhas difíceis; os sobreviventes ficam marcados para o resto das suas vidas e o sentimento de injustiça acaba estranhamente por se misturar com a alegria da vitória deixando-nos tristemente satisfeitos com o desfecho.

E não vou dizer nada quanto às escolhas amorosas da Katniss... :)

Recomendo, sobretudo a quem leu os volumes anteriores.
7/10


Podem ler as opiniões sobre Jogos da Fome e Em Chamas carregando nas letras a verde. Para ler um excerto deste livro basta clicar aqui.

terça-feira, 8 de novembro de 2011

Nota - Cruz de Ossos

Ontem deixei-vos aqui a minha opinião relativamente a Cruz de Ossos de Patricia Briggs. Referi algumas gralhas e expressões idiomáticas que, na minha opinião, poderiam não ter sido traduzidas da melhor maneira. Mas eu, como todos, não tenho sempre razão... Estamos sempre a aprender e devo reconhecer que, desta vez (e de outras, provavelmente) a ignorância estava comigo e quando fiz referência ao uso da palavra "guante" em vez de "luva", estava errada. Afinal, não se tratava de um qualquer erro ou distração, nem tão pouco de uma confusão com o castelhano. Neste caso em concreto, a palavra empregue no original não poderia ser traduzida por "luva" na medida em que é um tipo específico de luva que a autora refere - luva de ferro da armadura antiga; manopla.
Peço, portanto, desculpa pelo meu erro.

Não posso deixar de acrescentar aqui um sincero pedido de desculpas ao tradutor, Manuel Alberto Vieira. Quem lê o meu texto fica com a ideia de que lhe atribuo toda a responsabilidade pelas gralhas ou erros que o leitor possa encontrar e, tal ideia, não podia ser mais injusta. O tradutor é um ser humano e, como tal, é normal que possa cometer algum erro. Contudo, no processo de edição, existem outras pessoas responsáveis por rever o trabalho e corrigi-lo se necessário. Pessoas que, regra geral, esquecemos atribuindo a totalidade das responsabilidades a quem traduz. Mais uma vez...erro meu ao deixar passar a ideia.

Ficam o esclarecimento e o meu pedido de desculpas.

segunda-feira, 7 de novembro de 2011

Cruz de Ossos


Título: Cruz de Ossos
Autor: Patricia Briggs
Tradução: Manuel Alberto Vieira
Edição: Saida de Emergência
Nº de páginas: 285
"Ainda a curar-se, tanto no espírito como no corpo, dos brutais acontecimentos ocorridos recentemente na sua vida, Mercy Thompson está longe de poder baixar a guarda. Agora é a rainha dos vampiros, a temível Marsilia, que está furiosa por descobrir que Mercy não só matou um vampiro com o também oculta uma identidade secreta ameaçadora para os da suaespécie... Mercy tem a proteção do bando local de lobisomens, e o seu interesse romântico pelo Alfa torna a ligação ainda mais intensa, mas é bom que a coiote em si esteja alerta, pois a rainha Marsilia não perdoa e irá atrás de Mercy de uma forma ou de outra..."

Uau, já tinha mesmo saudades da menina Mercedes, só assim se explica que tenha lido o livro em apenas um dia!!
Depois de finalmente ter feito uma opção no que respeita a Samuel e Adam e dos brutais acontecimentos do volume anterior terem visto um fim, seria de pensar que Mercy teria algum sossego. Mas esta rapariga parece ser perseguida pelo perigo e por personagens que a querem ver morta a qualquer custo. Apenas uma semana depois do ataque de Tim e ainda a recuperar do mesmo, Mercy descobre que Marsilia ficou a saber quem, de facto, matou Andre e tenta armar uma cilada à nossa heroina. Algo desesperada por sair da cidade e proteger os seus amigos, a jovem decide aceitar o convite de uma antiga colega da faculade e desloca-se a Spokane para a ajudar num problema com fantasmas. Contudo, e para não variar, nada é o que realmente parece e Mercedes acaba por dar por  si "na toca do lobo". Como não podia deixar de ser, tudo acaba bem mas... nós é que nos ficamos a roer de curiosidade devido às pontas soltas na narrativa.

No que respeita aos personagens e à narrativa em si, temos mais daquilo a que Briggs nos vem habituando. Acção, poucos ou nenhuns tempos mortos e uma heroina com uma força incrivel e que não deixa de surpreender não só os que a rodeiam como o leitor. Não posso deixar de referir que adorei voltar a encontrar Stefan. O vampiro é um dos meus personagens preferidos, talvez por não ser muito linear e por conseguir sempre provocar algumas situações de humor, e tinha estado ausente do último volume. Aqui a sua presença é uma constante :)

Apenas uma nota menos positiva para a tradução, além de alguns erros encontrei duas ou três gafes e a má tradução de algumas expressões idiomáticas. Também há algumas coisas  que não sei se estão totalmente erradas mas que me cortaram o ritmo em algumas ocasiões. A título de exemplo, traduzir guantes em vez de luvas. Pode ser apenas pela minha próximidade a Espanha mas... em português não costumo ouvir esta palavra, apenas em espanhol. Mas como disse, são pequenas coisas que não tenho a certeza de não estarem correctas.
6/10

NOTA

sexta-feira, 4 de novembro de 2011

Isabel Allende - Livros autografados

Está disponível a partir de hoje, dia 4 de Novembro, o mais recente título de Isabel Allende, O Caderno de Maya.
Tendo brindado os leitores com livros como A Casa dos Espírtos ou Paula, Isabel Allende é uma das autoras mais lidas em todo o mundo. Sabendo do seu sucesso também em Portugal a Porto Editora disponibiliza alguns exemplares autografado.

Podem encontrá-los nas livrarias Bertrand do Colombo (Lisboa) e do Norteshopping (Porto); cada uma delas terá disponíveis 150 livros desta edição especial e limitada ao mesmo custo da versão normal.

Aproveitem...

Para aguçar a curiosidade dos fãs mais distraídos, deixo-vos a sinopse:

Um passado que a perseguia. Um futuro ainda por construir. E um caderno para escrever toda uma vida.
«Sou Maya Vidal, dezanove anos, sexo feminino, solteira, sem namorado por falta de oportunidade e não por esquisitice, nascida em Berkeley, Califórnia, com passaporte americano, temporariamente refugiada numa ilha no sul do mundo. Chamaram-me Maya porque a minha Nini adora a Índia e não ocorreu outro nome aos meus pais, embora tenham tido nove meses para pensar no assunto. Em hindi, Maya significa "feitiço, ilusão, sonho", o que não tem nada a ver com o meu carácter. Átila teria sido mais apropriado, pois onde ponho o pé a erva não volta a crescer.»

quarta-feira, 2 de novembro de 2011

A Dança dos Dragões

Título: A Dança dos Dragões
Autor: George R. R. Martin
Tradução: Jorge Candeias
Edição: Saída de Emergência


Depois de uma longa espera, apesar de ser sempre óptimo voltar a Westeros, o certo é que este volume foi, em certa medida, uma desilusão. Não uma completa desilusão, afinal estamos a falar de Martin, mas depois de tanta expectativa, de tamanha espera e de tanto se ter falado sobre este novo volume das Crónicas de Gelo e de Fogo, esperava mais. Mas comecemos pelo principio...

A Dança dos Dragões é cronologicamente paralelo ao Festim dos Corvos e Mar de Ferro e aqui pode começar a confusão. Apesar de o autor nos avisar logo de início deste pormenor a verdade é que demoramos um bocadinho a assimilar a coisa. Supostamente, já vamos mais avançados na narrativa e, ainda que este volume nos traga personagens mais ausentes nos dois livros anteriores (da edição portuguesa), facilmente nos perdemos e esquecemos o aviso.

E uma vez que comecei por apontar um defeito talvez seja melhor continuar na mesma linha. A visita guiada às Cidades Livres é interessantissima em vários pontos mas longe de desvendar mistérios, adensa-os enquanto dá ao leitor a ideia de que esta mudança de cenário, ainda que necessária no desenrolar da estória e na introdução de novos personagens, serve sobretudo para "encher choriços". É frustrante o tempo que o autor leva a narrar determinados acontecimentos, nomeadamente nos capítulos dedicados a Daenerys, para depois a narrativa não avançar. Quando pensamos que uma decisão vai ser tomada, que se vai marcar uma posição e movimentar as peças no tabuleiro... não acontece nada. Este é o maior ponto negativo do livro e por ele me vou ficar, embora deva dizer que o ritmo lento e a sensação de não haver qualquer avanço marcou de forma definitiva a leitura.

Relativamente aos pontos positivos, fico feliz por poder afirmar que eles são mais que os negativos. Entre os mesmos destaco o novo alento dado a três personagens: Bran, Melisandre e Cheirete. Bran, que estava longe de ser uma das minhas personagens preferidas, renasceu daqueles seus sonhos estranhos e revela-se como alguém que pode vir a ser determinante no desenvolvimento da narrativa. Como não podia deixar de ser, esta nova faceta de Bran trás consigo inumeros mistérios relativamente aos quais temos, de momento, muito pouca luz.

Melisandre, também na minha lista negra, é aqui apresentada de uma forma mais humana, alguém que tem sonhos e aspirações e que pode errar, que tem medos como toda a gente. É-lhe conferida uma aura algo mais humana embora não menos assustadora. O Cheirete, por sua vez, é a grande personagem-revelação do livro. Absolutamente brilhante a reviravolta que Martin deu transformando alguém pura e simplesmente estúpido e arrogante num ser abjecto, desprezivel e sem um pingo de amor-próprio que chega a dar-nos pena enquanto nos dá volta ao estômago.

Não posso deixar de referir também os acontecimentos na Muralha. Jon está tacituro, melancólico e, em minha opinião, tal deve anteceder algum acontecimento importante. O novo comandante da Patrulha da Noite está em guerra consigo mesmo e o turbilhão de sentimentos dá-lhe outra intensidade mas também lhe revela mais as fraquezas. Podemos vê-lo forte e tentando fazer o correcto, enfrentando os desfios que lhe são impostos mas, em determinadas ocasiões, perdido e temeroso.

Apesar de tudo, gostei do livro e continuo a aguardar a segunda parte (que será editada em Janeiro) pois fiquei com a sensação de que o melhor está para vir. Se houver grandes revelações (mais... houve duas neste livro das quais não posso falar sem fazer grandes spoilers)iremos encontrá-las no próximo volume. Há ainda muitas peças à espera de serem movimentadas neste tabuleiro.

sábado, 29 de outubro de 2011

Vem aí " A Revolta"...


"Contra todas as previsões, Katniss Everdeen conseguiu sobreviver aos Jogos da Fome por duas vezes. Mas mesmo tendo conseguido escapar viva da sangrenta arena, ainda não está a salvo. O Capitólio está cheio de raiva. O Capitólio quer vingança."

E depois de uma longa espera, dia 3 de Novembro é editado em Portugal pela Presença :)

quinta-feira, 6 de outubro de 2011

A Varanda do Frangipani


Titulo: A Varanda do Frangipani
Autor: Mia Couto
Edição: Caminho – Outras Margens
Nº de páginas: 152

A narrativa de A Varanda do Frangipani decorre na Fortaleza de S. Nicolau, algures em Moçambique. A fortaleza há muito que deixou de ser reduto de defesa e ocupação estrangeira para se transformar num asilo de velhos. A trama policial, as reflexões sobre a guerra e sobre a paz, o Universo mágico, a riqueza de personagens, aliados a uma narrativa pujante e amadurecida, fazem deste livro uma das mais belas obras de Mia Couto.

Um livro pequenino, mas cheio de poesia! A história segue um morto que precisa “remorrer” e para isso entra no corpo de um polícia que só tem mais uma semana de vida. Este polícia investiga a morte do director de um asilo, uma antiga fortaleza, e todas as noites entrevista um dos velhos, tentando desvendar o caso.

Através destas entrevistas conhecemos um pouco da história de cada velho e divertimo‑nos com as brincriações de Mia Couto: desconseguir, cabisbaixinha, atarantonta... A história prende o leitor que quer desvendar também o caso e a escrita inconfundível de Mia Couto é maravilhosa!

Boas leituras!

7/10

terça-feira, 4 de outubro de 2011

Mensaige de Fernando Pessoa




Bengo a cumbidar-bos pa l

Salimiento

de

 
MENSAIGE

de Fernando Pessoa

L poeta ye eiditado pula purmeira beç an lhéngua mirandesa, cun traduçon de Fracisco Niebro

 

Casa Fernando Pessoa (Rua Coelho da Rocha, 16 – Campo de Ourique, Lisboa)

14 de Outubre (sesta), 18h30
Antrada Lhibre

La Zéfiro, l'Associaçon de Lhéngua Mirandesa i la Casa Fernando Pessoa cumbídan-bos pa l salimiento de l lhibro “Mensaige” de Fernando Pessoa nel die 14 de Outubre, Sesta, a las 18h30.

Staran persentes Amadeu Ferreira i l poeta Fernando Castro Branco, outor de l'Antrada, que apersentará l lhibro, i ls eiditores.

Este ye l purmeiro lhibro de Fernando Pessoa a ser traduzido pa la lhéngua mirandesa i faç parte de la coleçon “An Mirandés” de la Zéfiro.

terça-feira, 20 de setembro de 2011

Os Anões

Título: Os Anões

Autor: Harold Pinter
Tradução: José Lima
Colecção: Autor Nobel – Revista Sábado
Nº de páginas: 254

Os Anões é o único romance que Harold Pinter escreveu durante a sua longa e notável carreira, coroada em 2005 com a atribuição do Prémio Nobel de Literatura. Originalmente concluído em começos da década de 1950, depois revisto em 1989, o livro descreve as vidas e preocupações de quatro jovens londrinos na Inglaterra do pós‑guerra.
Através da evolução, tumultuosa e destrutiva da sua amizade, Pinter explora o modo como as vidas comuns são moldadas pelas limitações e fronteiras da sexualidade, da intimidade e da moralidade, ao mesmo tempo que põe a nu as profundas verdades existentes em acontecimentos aparentemente correntes.
Divertido, vivo, e perturbante, Os Anões é um romance escrito num estilo brilhante por um escritor cuja imaginação marcou as nossas vidas e o nosso tempo.

Não sei bem que dizer quanto a este livro, terminei-o com a estranha (e nada agradável) sensação de que não tinha percebido bem o que se passava, qual o seu propósito... Creio que não foi só a história que contribuiu para esta sensação, a própria escrita também não ajudou muito.

A história segue três personagens, todos um pouco diferentes, mas, a meu ver, bastante parecidos (o mesmo tipo de discurso, o mesmo estilo de falar – o que pode ser problema da tradução e não do original). Len, matemático e músico que trabalha numa estação de autocarros. Pete, empregado de escritório. Mark, um actor falhado e engatatão. Ao longo do livro estes três amigos analisam-se mutuamente, por vezes parece que existe uma tentativa para ser superior aos outros. Virginia, namorada de Pete, desestabiliza a dinâmica do grupo e acaba por ser um elemento importante que altera a amizade entre eles.

Quanto ao estilo de escrita, acho que isto explica muito: Pinter escreveu apenas um romance, tudo o resto foram peças de teatro. E nota-se! Os diálogos prolongam-se por páginas e páginas, tal como em peças de teatro. Só que, ao contrário de uma peça em que temos o suporte visual e portanto vemos sempre quem diz o quê, no livro não é possível acompanhar quando se tem 4 páginas de diálogo ininterrupto com apenas 3 ou 4 indicações de quem está a falar. E como o estilo de fala é muito semelhante em todas as personagens, por vezes a única forma de me situar era mesmo contar travessões.

O romance estreou primeiro como peça de teatro e creio que é capaz de funcionar muito melhor assim. Terei de ver a peça para confirmar as minhas suspeitas.

Boas leituras!

5/10


segunda-feira, 19 de setembro de 2011

Estamos de volta :)

Como devem ter reparado, as coisas por aqui andam para lá de paradas, ainda que com muita pena nossa.
Contudo, a nossa vida pessoal não nos tem deixado tempo para postar nada e, confessamos, nem quase para ler.
Mesmo assim, com Setembro já avançado, as coisas começam a voltar à normalidade e mesmo quem tem novos desafios pela frente já se começa a habituar ao ritmo :) Assim, pensamos que podemos afirmar com toda a certeza que esta semana estamos de volta às leituras e ao blog.
Obrigada aos que continuaram a passar por aqui.

Até já....

sexta-feira, 5 de agosto de 2011

Nocturnus - A Redenção

Titulo: Nocturnus, Tomo 3 - A Redenção
Autor: Rafael Loureiro
Edição: Ed. Presença
Nº de páginas: 294


"Este volume da trilogia Nocturnus põe fim a uma interessante saga de ambiente gótico. Num mundo onde a Luz e as Trevas se digladiam sem tréguas, Daimon DelMoona regressa agora para junto da sua amada, Lília, devastado pelas trágicas consequências dos acontecimentos que se desenrolaram no volume anterior. Daimon, não estará sozinho na sua demanda final, mas conseguirá ele alguma vez libertar-se da trágica dualidade que o destruçou?"


Na minha opinião, este é o melhor dos três volumes que compõem a magnifica estória de Daimon DelMoona. Tem mais acção, mais mistério e o autor guia-nos por cidades e mundos muito distintos - coisa de que gostei imenso porque adoro viajar.

Como nos outros dois livros que antecedem, a leitura é fácil e nada aborrecida, sendo que podemos encontrar todos os personagens já nossos conhecidos e travar conhecimentos com outros que, devo dizer, são bem interessantes.


Em A Redenção, Daimon e Lília partem numa missão em busca de algo valioso e que lhes poderá devolver a sua condição humana. Mas será que conseguem? Desafio -vos a ler esta trilogia e a descobrir não só o final mas também as aventuras vividas e viagens travadas durante esta viagem pela redenção. Tenho pena de não poder adiantar-vos muito mais sem cair em spoillers que podem estragar as surpresas. Este é um daqueles livros de que é complicado falar sem começar a contar tudo.


Relativamente à edição com a qual fui contemplada... é uma edição especial com cd e dvd, pela qual agradeço imenso. É linda, capa dura, com ilustrações que ajudam à imaginação... só tem um senão. Quer dizer, o senão não se prende com a edição especial em si, é mais com o filme. Neste aspecto tenho que me confessar algo desapontada, estava à espera de algo mais gótico, mais dark e de uma banda sonora algo mais calma, algo que no seu conjunto fosse mais maduro (foi assim que imaginei as coisas quando li o livro) e quando vi o dvd achei-o muito teenager, muito virado para um público adolescente e semelhante a produções portuguesas do género que já vimos na tv.

Claro que a minha opinião pode mudar completamente quando vir o resultado final mas, de momento, sinto-me algo decepcionada. Os livros compensam. Pelos personagens, pela facilidade na leitura e pela narrativa em si. Adoro saber que em Portugal também se escreve algo de que eu gosto, nomeadamente no campo da fantasia :)


7/10


Podem ler um excerto aqui

quinta-feira, 28 de julho de 2011

A Encomendação das Almas

Título: A Encomendação das Almas
Autor: João Aguiar
Edição: Edições ASA
Nº de páginas: 146

“Num mundo rural em decomposição acelerada, minado pela poluição física e mental, pelos media e pelas arremetidas da "Aldeia Global", um homem de setenta anos e um adolescente aliam-se para construir um pequeno universo privado, fantástico, parado no tempo, onde vivem os velhos ritos e as superstições do passado.

Porém, esse universo, frágil e vulnerável, não poderá resistir durante muito tempo à sociedade hostil que o cerca. Então, é preciso encontrar uma saída...


História de uma amizade e de uma revolta, A Encomendação das Almas é também um retrato-caricatura do nosso tempo. Com ele, João Aguiar abre uma nova frente no seu trabalho de romancista e, renovando-se, confirma que é hoje um dos mais versáteis narradores portugueses.”




D. Gonçalo é um idoso que decide retirar-se sozinho para uma aldeia chamado Poiais de Santa Cruz, antes de que os seus queridos filhos (que ele acha uns hipócritas) e a sua “amantíssima” (de quem está farto) o internem num lar de terceira idade de luxo ou, do seu ponto de vista, num asilo.

Zé da Pinta é um rapaz simples com um fascínio pelo céu, em especial pelas nuvens, e com jeito para invenções mecânicas. Todos os que o conhecem, até a família, acham que ele é “apoucadinho” e que não serve para nada. Como já não sabem o que fazer com ele, recambiam-no para casa de um tio em Poiais de Santa Cruz.

As duas personagens acabam por se encontrar e tornar amigos. Entre mitos e lendas, fantasia e magia, D. Gonçalo e Zé da Pinta vivem num mundo à parte só deles.

Com uma escrita simples e cheia de ironia é feita uma crítica à sociedade urbana e rural, onde vemos que todos aqueles que não seguem os mesmo valores que a maioria acabam por ser postos de parte. É uma leitura fácil que nos arranca muitas gargalhadas e com um final que depende da interpretação de cada um: podem chorar, ficar felizes ou até mesmo horrorizados. Eu fiquei com um misto das três.


Boas leituras!


7/10

quarta-feira, 20 de julho de 2011

Jogos da Fome: The second quartel quell



Interrompemos aqui as nossas férias para vos aguçar a curiosidade com este video, disponibilizado pela MainstayPro, que nos mostra um pouco do que se anda a filmar para Os Jogos da Fome.
Neste caso, o video faz-nos saber como conseguiu Haymitch ganhar no ano em que foi representante do seu Distrito nestes brutais jogos.
Apesar de, tanto quanto sabemos, o filme não ser oficial - apenas uma adaptação feita por fãs - não fomos poupados às cenas mais brutais e violentas descritas pela autora.
Gostei... Esperamos, pois, que o oficial esteja igualmente bem adaptado (senão melhor).

terça-feira, 28 de junho de 2011

"A Lâmina" de Joe Abercombrie



Fiquei curiosa quando li um post da Canochinha acerca deste livro. É o primeiro volume da trilogia Primeira Lei e estará disponível em Portugal a partir de dia 11 de Julho. Entretanto deixo-vos o booktrailler promocional e a sinopse:

"Sólido, complexo e apaixonante, A Lâmina combina com mestria os elementos típicos do fantástico, mas acrescenta-lhe a crueldade sanguinária e o humor mordaz que conduzem o leitor aos labirintos mais negros da condição humana. Este não é de certeza um livro "inocente", com bons de um lado e maus do outro - é um romance de profunda humanidade, que nos coloca perante o espelho arrasador dos nossos pecados e fraquezas.
Perversamente divertido, excitante e imprevisível, e repleto de personagens memoráveis, A Lâmina é uma fantasia com muito de verdade. No mundo medieval criado por Joe Abercrombie, a sorte de Logen Novededos, bárbaro infame, esgotou-se finalmente. Apanhado num combate em que não se deveria ter envolvido, está prestes a tornar-se um bárbaro morto, deixando para trás apenas canções más e amigos mortos.
Jazel dan Luthar, modelo de egoísmo, não tem em mente nada mais perigoso do que conquistar a glória no círculo de esgrima. Mas a guerra aproxima-se e, nos campos de batalha no Norte gélido, luta-se com regras mais sangrentas.
Ao inquisidor Glokta, torturado convertido em torturador, nada agradaria mais do que ver Jezal regressar a casa num caixão. Mas também é verdade que o seu ódio será extensível a todos os que conhece. Extirpar a traição no coração da União, uma confissão de cada vez, não deixa um grande espaço para amizades e o mais recente rasto de cadáveres poderá conduzir directamente ao coração enfermo do Governo... se conseguir sobreviver durante tempo suficiente para o seguir..."

sábado, 25 de junho de 2011

J .K. Rowling anuncia "Pottermore" no youtube


Desde já peço as minhas desculpas por não vos ter encontrado um video legendado ou algo do género mas... penso que na generalidade será perceptivel a todos. Embora a ideia ainda não esteja completamente clara, pelo menos na minha mente!!!

Com a saga de Harry Potter já finalizada (ao que tudo indica e embora o final permita à autora regressar a este mundo quando bem entender), JK Rowling anunciou hoje através do Youtube o projecto "Pottermore". Trata-se de uma experiência de leitura nunca antes vista. Os detalhes ainda são muitos escassos, mas em resumo, é um projecto em que os leitores da saga Harry Potter poderão participar numa espécie de leitura conjunta online e assim imaginar o mundo do Harry Potter em conjunto, dando novas ideias e , quiçá, abrindo novas possíbilidades. A autora afiança que  também irá participar no projecto, interagindo com os leitores e contribuindo com revelações inéditas do mundo de Harry Potter. 

O projecto Pottermore arrancará em Outubro mas alguns sortudos poderão ter um acesso antecipado e exclusivo se, como a autora refere no video,  "seguirem a coruja".

Através da página oficial quem quiser inscrever-se poderá fazê-lo e, posteriormente, estarão disponíveis para venda os livros da série em forma de audio-books e de e-books.

sexta-feira, 17 de junho de 2011

Hoje é só boas notícias :)

Hoje foi um daqueles dias em que as boas notícias se seguem umas às outras. Não é muito comum termos dias assim mas é por isso mesmo que gostamos deles.
A primeira boa notícia do dia é que vamos ganhar mais leitores e, quiçá, conseguir aliciar mais jovens (e não só) para este nosso grande vício que é a leitura. As nossas opiniões, algumas delas, vão começar a ser publicadas em alguns jornais da região em que vivemos. Já sei, já sei...não são grande jornais de tiragem nacional mas estamos felizes com a novidade.

A segunda boa notícia de hoje é que Dança com Dragões de George R. R. Martin será publicado em Portugal já no próximo mês de Setembro. A editora aponta dia 9 de Setembro como a data de lançamento do mais aguardado volume das Crónicas de Gelo e de Fogo. Para quem, como eu, anda a reler as Crónicas estas são de facto boas novas.



Por último, ficámos hoje a saber que vai ser editado, já no próximo mês, mais um título da autoria de Juliet Marillier. Já sabiamos que a autora viria a Portugal em Julho mas desconheciamos que estava na calha a edição de mais um livro que nos transportará de novo a Sevenwaters.
Em A Vidente de Sevenwaters poderemos seguir a historia  de Sibeal - neta de Sorcha e irmã de Clodahg, a protagonista de O Herdeiro de Sevenwaters. Quanto à vinda da autora ao nosso país, terá lugar entre os dias 3 e 7 de Julho e a autora estará na Fnac do Colombo para o lançamento da obra e sessão de autógrafos no dia 6 pelas 18:30. Deixamos aqui a capa e a sinopse para vos ir aguçando o apetite.


"Sibeal sem­pre soube que estava des­ti­nada a uma vida espi­ri­tual e entregou-​se de corpo e alma à sua voca­ção. Antes de cum­prir os últi­mos votos para se tor­nar uma drui­desa, Cia­rán, o seu mes­tre, envia-​a numa via­gem de recreio à ilha de Inis Eala, para pas­sar o Verão com as irmãs, Muir­rin e Clo­dagh.
Sibeal ainda mal che­gou a Inis Eala, quando uma insó­lita tem­pes­tade rebenta no mar, afun­dando um barco nór­dico mesmo diante dos seus olhos. Ape­sar dos esfor­ços, ape­nas dois sobre­vi­ven­tes são reco­lhi­dos da água. O dom da Visão con­duz Sibeal ao ter­ceiro náu­frago, um homem a quem dá o nome de Ardal e cuja vida se sus­tém por um fio. Enquanto Ardal trava a sua dura bata­lha com a morte, um laço capaz de desa­fiar todas as con­ven­ções forma-​se entre Sibeal e o jovem des­co­nhe­cido.
A comu­ni­dade da ilha sus­peita que algo de errado se passa com os três náu­fra­gos. A bela Svala é muda e per­tur­bada. O vigo­roso guer­reiro Knut parece ter ver­go­nha da sua enlu­tada mulher.
E Ardal tem um segredo de que não con­se­gue lembrar-​se — ou pre­fere não con­tar. Quando a incrí­vel ver­dade vem à super­fí­cie, Sibeal vê-​se envol­vida numa peri­gosa demanda.
O desa­fio será uma via­gem às pro­fun­de­zas do saber druí­dico, mas, tam­bém, aos abis­mos inson­dá­veis do cres­ci­mento e da pai­xão. No fim, Sibeal terá de esco­lher — e essa esco­lha mudará a sua vida para sem­pre.”

terça-feira, 14 de junho de 2011

Resultado do Passatempo Nocturnus Tomo III - Redenção

Finalmente "habemus resultado" do Passatempo Nocturnus: Redenção. Antes de anunciar o vencedor, deixe-me agradecer à Presença pela possibilidade de realizar mais um passatempo e, como não, a todos os que nele participaram.

As respostas requeridas eram:
1 - Qual o nome do Anjo Pai de todas as Descendências de Vampiros?
Tiriel.
2 - Como se chama o feiticeiro que deu a Tiriel sangue humano?
Rhazalah
3 - No segundo volume de Nocturnus, quantos anos se passaram desde a derrota do tirano Alexandre Phoenix?
6 anos.
4 - Que terrível acontecimento se abate sobre os vampiros de Arcana?
A Lei do Silêncio é quebrada.
5 - Em que ano foi criada a Nova Aliança?
1941.
6 - Nomeia dois actores de Nocturnus: Novo Nascimento.
Alexandre Ferreira e Catarina Jardim.

E a vencedora foi:
Andreia Filipa Leitão Correia, Alto do Seixalinho

Em breve publicaremos aqui a nossa opinião sobre este último volume da Trilogia Nocturnus.

segunda-feira, 6 de junho de 2011

Despertar do Crepúsculo

Título: Despertar do Crepúsculo
Autor: Anne Bishop
Tradução: Cristina Correia
Edição: Saída de Emergência
Nº de páginas: 414

"Os "sombriamente fascinantes" romances das Joias Negras de Anne Bishop, autora de sucesso consagrada no top do New York Times, têm cativado igualmente leitores e críticos devido à mescla de fantasia, intriga e romance. Com o presente Despertar do Crepúsculo, Bishop regressa ao reino dos Sangue com quatro inéditas e fascinantes novelas.
Prendas de Winsol
Daemon, Príncipe dos Senhores da Guerra de Joias Negras de Dhemlan, está ainda a adaptar-se ao seu primeiro ano de casado com a sua Rainha Feiticeira, Jaenelle. Porém, com a aproximação da celebração do Winsol que se prolonga por treze dias, Daemon tem de lidar com demasiadas solicitações ao mesmo tempo que se assume como anfitrião da sua admirável família.

Cambiantes de Honra
Ainda a recuperar da provação que a deixou ferida e furiosa, Surreal regressa a Ebon Rih sob as ordens do Príncipe Lucivar. Quando o seu antigo amante Falonar desafia impiedosamente a autoridade da família à qual ela pertence, Surreal poderá, por fim, sucumbir às trevas que ardem no seu âmago.

Família
Quando alguém arma uma cruel cilada à Rainha Sylvia e aos seus filhos, as sequelas consomem por completo as vidas da família reinante de Dhemlan. Terão de desvendar a identidade do Senhor da Guerra conhecido somente como Sem Rosto antes que regresse para terminar o que começou.

A Filha do Senhor Supremo
Após a perda das duas pessoas mais importantes da sua vida, Daemon assumiu o papel de seu pai, Saetan, como Senhor Supremo do Inferno, construindo um muro em redor do seu coração. Porém, ao estabelecer inadvertidamente uma nova relação, bastará ela para o libertar da sua vida desprovida de amor?"


Com "Despertar do Crepúsculo", Bishop leva-nos mais uma vez ao fascinante mundo dos Sangue. O livro é formado por 4 pequenas histórias que complementam a não apenas a Trilogia das Joias Negras mas também os demais livros da autora cuo pano de fundo é este universo.
Apesar de a muitos estas pequenas histórias lhes poderem saber a pouco, qual é o fã de Bishop que resiste a mais uma visita aos seus personagens favoritos? Pois é, nenhum...
Este volume tem tudo aquilo que nos fez apaixonar pelos Sangue, as suas vidas e o seu fantástico mundo. Estão lá os nossos personagens favoritos, as histórias das suas vidas, o humor e violência... Enfim, são os Sangue e Anne Bishop. Que mais podemos pedir?

Para os que não leram todos os livros, desta autora, editados em Portugal há alguns pormenores que podem ser algo confusos mas que, simultaneamente, vão despertar a curiosidade e deixar-vos cheios de vontade de ler mais. Isto acontece porque três das histórias atravessam todo o período temporal já nosso conhecido e focam alguns dos acontecimentos que já conhecemos de narrativas anteriores, tornando-os mais completos e satisfazendo a curiosidade de muitos leitores.

Não queria falar muito dos contos a nível individual sob pena de haver spoillers, posso apenas dizer-vos que Prendas de Winsol decorre após os acontecimentos de Jóia Perdida e é um conto bastante ligeiro que tem como pano de fundo a celebração do Winsol e a preocupação dos personagens de que tudo corra da melhor forma. Reflecte-se um pouco sobre o sentido de família e aquilo que é verdadeiramente importante para cada um.

Cambiantes de Honra decorre antes dos acontecimentos de Aliança das Trevas e prende-se também com os acontecimentos de Jóia Perdida. Rainier e Surreal ainda recuperam dos ferimentos e do trágico desfecho da sua visita a uma casa assombrada quando são chamados para uma temporada de treino de recuperação em Ebon Rih com Lucivar. Contudo, nem tudo vai bem naquele território e Falonar - ainda ressaibiado com Surreal e a sua família - mostra-se cada vez mais descontente com a vida simples e familiar que Lucivar oferece aos eyrienos. Todos têm conflictos para resolver e a tarefa não se adivinha fácil. Surreal deve perdoar, Rainier deve aceitar-se e Lucivar tem que conciliar definitivamente a sua posição em Ebon Rih.

Os acontecimentos de Família têm lugar dez anos após os de Cambiantes de Honra e leva-nos mais uma vez ao lado mais obscuro e sombrio da natureza de alguns Sangue. O seu gosto pelo sofrimento e dor alheios, a sua perfídia e malvadez.
A familia de Sylvia é atacada durante aquela que devia ser uma visita informal e de cariz pessoal a uma das provincias na fronterira com a Pequena Terreille. Nada é aquilo que parece e o destino de alguns dos personagens pode estar longe de ser aquele que o leitor lhes imaginava reservado.

O último conto A Filha do Senhor Supremo, tem uma base temporal completamente nova. é um conto que atravessa décadas (mais ou menos 30 anos) e que tem lugar setenta anos depois do acontecimentos da trilogia das Joias Negras. Este foi o que mais me cativou, não apenas pela nova prespectiva mas também pelo facto de me deixar a pensar na possibilidade de a autora poder ter aqui a sua base para uma nova trilogia ou algo similar. Não posso adiantar muito sem vos contar a história toda de modo que vou apenas adiantar que se abre todo um leque de novas possibilidades e novas personagens que renovam este universo.

Concluindo, é leitura obrigatória para os fãs da autora (principalmente a última história) e deixa o leitor muito satizfeito no que respeita ao complemento a narrativas anteriores, embora nos deixe também uma sementinha de esperança e curiosidade relativamente a novos projectos da autora.
7/10

quarta-feira, 1 de junho de 2011

Namora uma rapariga que lê

Gostei deste texto, identifico-me com muito do que aqui está escrito... fica para vocês poderem ler tembém e comentarem se tal vos aprouver.

"Namora uma rapariga que lê. Namora uma rapariga que gaste o dinheiro dela em livros, em vez de roupas. Ela tem problemas de arrumação porque tem demasiados livros. Namora uma rapariga que tenha uma lista de livros que quer ler, que tenha um cartão da biblioteca desde os doze anos.
Encontra uma rapariga que lê. Vais saber que é ela, porque anda sempre com um livro por ler dentro da mala. É aquela que percorre amorosamente as estantes da livraria, aquela que dá um grito imperceptível ao encontrar o livro que queria. Vês aquela miúda com ar estranho, cheirando as páginas de um livro velho, numa loja de livros em segunda mão? É a leitora. Nunca resistem a cheirar as páginas, especialmente quando ficam amarelas.
Ela é a rapariga que lê enquanto espera no café ao fundo da rua. Se espreitares a chávena, vês que a espuma do leite ainda paira por cima, porque ela já está absorta. Perdida num mundo feito pelo autor. Senta-te. Ela pode ver-te de relance, porque a maior parte das raparigas que lêem não gostam de ser interrompidas. Pergunta-lhe se está a gostar do livro.
Oferece-lhe outra chávena de café com leite.
Diz-lhe o que realmente pensas do Murakami. Descobre se ela foi além do primeiro capítulo da Irmandade. Entende que, se ela disser ter percebido o Ulisses de James Joyce, é só para soar inteligente. Pergunta-lhe se gosta da Alice ou se gostaria de ser a Alice.
É fácil namorar com uma rapariga que lê. Oferece-lhe livros no dia de anos, no Natal e em datas de aniversários. Oferece-lhe palavras como presente, em poemas, em canções. Oferece-lhe Neruda, Pound, Sexton, cummings. Deixa-a saber que tu percebes que as palavras são amor. Percebe que ela sabe a diferença entre os livros e a realidade – mas, caramba, ela vai tentar fazer com que a vida se pareça um pouco com o seu livro favorito. Se ela conseguir, a culpa não será tua.
Ela tem de arriscar, de alguma maneira.
Mente-lhe. Se ela compreender a sintaxe, vai perceber a tua necessidade de mentir. Atrás das palavras existem outras coisas: motivação, valor, nuance, diálogo. Nunca será o fim do mundo.
Desilude-a. Porque uma rapariga que lê compreende que falhar conduz sempre ao clímax. Porque essas raparigas sabem que todas as coisas chegam ao fim. Que podes sempre escrever uma sequela. Que podes começar outra vez e outra vez e continuar a ser o herói. Que na vida é suposto existir um vilão ou dois.
Porquê assustares-te com tudo o que não és? As raparigas que lêem sabem que as pessoas, tal como as personagens, evoluem. Excepto na saga Crepúsculo.
Se encontrares uma rapariga que leia, mantém-na perto de ti. Quando a vires acordada às duas da manhã, a chorar e a apertar um livro contra o peito, faz-lhe uma chávena de chá e abraça-a. Podes perdê-la por um par de horas, mas ela volta para ti. Falará como se as personagens do livro fossem reais, porque são mesmo, durante algum tempo.
Vais declarar-te num balão de ar quente. Ou durante um concerto de rock. Ou, casualmente, na próxima vez que ela estiver doente. Pelo Skype.
Vais sorrir tanto que te perguntarás por que é que o teu coração ainda não explodiu e espalhou sangue por todo o peito. Juntos, vão escrever a história das vossas vidas, terão crianças com nomes estranhos e gostos ainda mais estranhos. Ela vai apresentar os vossos filhos ao Gato do Chapéu e a Aslam, talvez no mesmo dia. Vão atravessar juntos os invernos da vossa velhice e ela recitará Keats, num sussurro, enquanto tu sacodes a neve das tuas botas.
Namora uma rapariga que lê, porque tu mereces. Mereces uma rapariga que te pode dar a vida mais colorida que consegues imaginar. Se só lhe podes oferecer monotonia, horas requentadas e propostas mal cozinhadas, estás melhor sozinho. Mas se queres o mundo e os mundos que estão para além do mundo, então, namora uma rapariga que lê.
Ou, melhor ainda, namora uma rapariga que escreve."

(Texto de Rosemary Urquico, encontrado no blogue de Cynthia Grow. Tradução “informal” de Carla Maia de Almeida para celebrar o Dia Mundial do Livro, 23 de Abril.)

segunda-feira, 30 de maio de 2011

Passatempo Nocturnus Tomo III - Redenção

"Num mundo onde a Luz e as Trevas de digladiam sem tréguas, Daimon DelMoona regressa agora para junto da sua amada, Lília, devastado pelas trágicas consequências dos acontecimentos que se desenrolaram no volume anterior. Daimon, não estará sozinho na sua demanda final, mas conseguirá ele alguma vez libertar-se da trágica dualidade que o destroçou?"

Em parceria com a Presença, a Sombra dos Livros tem para vos oferecer um exemplar de Nocturnus Tomo III - A Redenção de Rafael Loureiro. Ofereceremos uma edição especial deste título contendo, além do livro propriamente dito, banda sonora In Memoriam Nocturnus, apresentação cinematográfica de Novo Nascimento e banda desenhada Génesis.  Para se habilitarem a ganhar este prémio basta que respondam correctamente às questões que se seguem.

1 - Qual o nome do Anjo Pai de todas as Descendências de Vampiros?

2 - Como se chama o feiticeiro que deu a Tiriel sangue humano?
3 - No segundo volume de Nocturnus, quantos anos se passaram desde a derrota do tirano Alexandre Phoenix?
4 - Que terrível acontecimento se abate sobre os vampiros de Arcana?
5 - Em que ano foi criada a Nova Aliança?
6 - Nomeia dois actores de Nocturnus: Novo Nascimento.

  Podem encontrar as respostas aqui, aqui, aqui e aqui...


REGRAS:
O passatempo decorre até às 23:59h de dia 5 de Junho.
As respostas devem ser enviadas para passatempos.sombradoslivros@gmail.com
Só será aceite uma participação por morada.
Só serão aceites participações de residentes em Portugal.

sábado, 28 de maio de 2011

Novidades SdE para Junho

No próximo dia 3 de Junho estarão disponíveis alguns títulos pelos quais já esperavamos há algum tempo. Deixo-vos as sinopses e as imagens de capa para  que comecem a ficar com água na boca.



"Os "sombriamente fascinantes" romances das Joias Negras de Anne Bishop, autora de sucesso consagrada no top do New York Times, têm cativado igualmente leitores e críticos devido à mescla de fantasia, intriga e romance. Com o presente Despertar do Crepúsculo, Bishop regressa ao reino dos Sangue com quatro inéditas e fascinantes novelas.

Prendas de Winsol
Daemon, Príncipe dos Senhores da Guerra de Joias Negras de Dhemlan, está ainda a adaptar-se ao seu primeiro ano de casado com a sua Rainha Feiticeira, Jaenelle. Porém, com a aproximação da celebração do Winsol que se prolonga por treze dias, Daemon tem de lidar com demasiadas solicitações ao mesmo tempo que se assume como anfitrião da sua admirável família.

Cambiantes de Honra
Ainda a recuperar da provação que a deixou ferida e furiosa, Surreal regressa a Ebon Rih sob as ordens do Príncipe Lucivar. Quando o seu antigo amante Falonar desafia impiedosamente a autoridade da família à qual ela pertence, Surreal poderá, por fim, sucumbir às trevas que ardem no seu âmago.

Família
Quando alguém arma uma cruel cilada à Rainha Sylvia e aos seus filhos, as sequelas consomem por completo as vidas da família reinante de Dhemlan. Terão de desvendar a identidade do Senhor da Guerra conhecido somente como Sem Rosto antes que regresse para terminar o que começou.

A Filha do Senhor Supremo
Após a perda das duas pessoas mais importantes da sua vida, Daemon assumiu o papel de seu pai, Saetan, como Senhor Supremo do Inferno, construindo um muro em redor do seu coração. Porém, ao estabelecer inadvertidamente uma nova relação, bastará ela para o libertar da sua vida desprovida de amor? "



 "Em Hollows
os vampiros são apenas o início...

A vida é dura para a jovem Rachel Morgan. Caçadora de prémios por profissão e bruxa por vocação, o seu trabalho é percorrer as ruas perigosas de Hollows atrás de criaturas sobrenaturais que ameacem os habitantes mais inocentes e vulneráveis.
Sensual e independente, a jovem consegue lidar com vampiros vestidos de cabedal e até escapar ao ocasional demónio, mas um assassino em série que dá caça aos mais perigosos mestres da magia negra é, sem dúvida, forçar os limites.
Para derrotar um mal assim tão antigo e implacável não basta uma personalidade forte e uma mão cheia de feitiços. E se falhar, mais do que o seu corpo, Rachel arrisca-se a perder a alma."





"A Casa da Noite aguarda-te. Num mundo igual ao nosso mas onde os vampiros não só existem como são tolerados, esta é a escola de referência. Um local cheio de perigos e segredos onde os jovens marcados têm dois destinos: ou se transformam em vampiros ou morrem destroçados.
Zoey Redbird, vampira destinada a ser Alta Sacerdotisa, perdeu o seu caminho. Os imensos poderes que detém foram insuficientes para salvar uma das pessoas mais próximas de si, despedaçando a sua alma e coração. Agora o seu grupo de amigos tem de lutar para que ela regresse e ponha um fim às trevas que se apoderam da Casa da Noite.
Mas o mal tem os seus próprios planos e estes não esperam por Zoey. Os vampiros enfrentam a maior ameaça de sempre e precisam de toda a força da jovem para lidar com problemas muito para além de novas raças de vampiros, imortais caídos em desgraça ou namorados. A escuridão apodera-se do mundo e apenas Zoey poderá lutar por um caminho ao encontro da luz… se não se queimar…"


 
 
"Esta é a história de homens em guerra, das escolhas que são forçados a fazer e os dilemas que sofreram. Uma das melhores obras de Bernard Cornwell.

No verão de 1779, no terceiro ano da Guerra da Independência dos Estados Unidos, uma força britânica de 750 homens, liderada por Francis McLean, navega em direção à costa desolada e brumosa da Nova Inglaterra. A sua missão é estabelecer uma base naval numa posição crucial para dar abrigo a americanos lealistas. Apoiado por três pequenos navios, Mclean inicia a construção de um forte.
Em resposta, o estado de Massachusetts envia uma frota de 40 navios e mil soldados de infantaria para "capturar, matar ou destruir" os invasores. O segundo em comando é Peleg Wadsworth, um antigo combatente no regimento de George Washington e um homem que sabe o que tem de ser feito para expulsar os invasores.
E embora os britânicos estejam em inferioridade numérica, a batalha que se seguiu é um exemplo clássico de como planos bem elaborados podem ser arruinados por líderes incompetentes ou política mesquinha, e de como a guerra destaca o melhor e o pior em todos os homens."

sexta-feira, 27 de maio de 2011

"Vingança em Sevilha" Matilde Asensi - Novidade Planeta

Está já disponível em Portugal, com chancela da Planeta, "Vingança em Sevilha" o novo romance de Matilde Asensi,a autora de "O Último Cantão".

Sinopse:
"Sevilha 1600
Uma Cidade, uma familia e uma dívida por saldar.

Catalina Solís usando o charme e a astúcia levará a cabo a sua grande vingança, numa das cidades mais ricas e importantes do mundo, a Sevilha do século XVII. Cumprirá desse modo o juramento feito ao pai adoptivo, de acabar com os Curvo, donos de uma fortuna sem igual, conseguida com a prata roubada nas Américas.
A sua dupla identidade – como Catalina e como Martín Olho de Prata – e uma enorme astúcia permitir-lhe-ão desenhar uma vingança sem precedentes, baseada no engano, sedução, força, surpresa, duelo, medicina e intriga.
Nesta arriscada aventura, conta com a companhia de amigos e de uns malandrins com um forte instinto de sobrevivência, dispostos a dar a vida por esta lendária personagem tão extraordinária."

Matilde Asensi escreveu "Vingança em Sevilha," o grande romance de Sevilha, com base numa ampla e rigorosa investigação e um trabalho que evoca as vozes de tempos de aventura, de um mundo dominado pelas aparências, pela corrupção e leis do sangue. Tempo de grandes riquezas e de grande miséria, quando Espanha era o centro do mundo.
Um romance de acção trepidante, que mantém vivo o interesse do leitor, com descobertas e surpresas em cada página.
A protagonista, Catalina Solís, é considerada a nova Alatriste da ficção ibérica.

Podem ler o primeiro capítulo aqui


Mais informações sobre a autora em www.matildeasensi.net

quinta-feira, 26 de maio de 2011

És uma bibliófila quando...

Hoje, a Bibliófila diz:

"És uma bibliófila quando chegas aos correios e senhora diz:
Ora então, livrinhos, não é?"

E eu acrescento...

Quando o carteiro toca a campainha e, com um sorriso,  diz:
"Já pensava que os desta semana nunca mais chegavam, não?"

quarta-feira, 25 de maio de 2011

Trilogia Nocturnus: Tomo III Redenção - lançamento em breve

Qual a relação entre o universo vampírico de "Nocturnus", as artes do cinema, música e desenho e "O Crime do Padre Amaro"?
A resposta chega a 2 de Junho, com o lançamento da edição especial do Tomo III – A Redenção, o capítulo final desta trilogia, que será acompanhada de um DVD Nocturnus. Neste, podemos encontrar a visão e a voz deste mesmo universo contadas através de três diferentes artes: Cinema, Música e Banda Desenhada.

Cinema: Apresentação Nocturnus: Novo Nascimento
Pelo génio de Alexandre Cebrian Valente, produtor de "Crime do Padre Amaro", esta curta metragem, que conta a história de Daimon e o seu Novo Nascimento após a morte de Lília, ganha vida com um elenco de luxo, contando entre vários actores com Alexandre Ferreira e Catarina Jardim.

Música: Banda Sonora: In Memoriam Nocturnus
Pela fantástica banda Witchbreed, a Banda Sonora Nocturnus é composta por quatro temas; um deles inspirado no Prólogo e os outros em cada um dos Tomos. Cada frase é uma gota de sangue vertida pelos personagens, cada acorde a expressão dos seus sentimentos...

Banda Desenhada: BD Nocturnus: Génesis
Em escala de cinzentos se conta a história da génese Nocturnus pelo traço de Carlos Dias. É a história de Tiriel, um anjo caído pelo ciúme da humanidade que se tornou o Pai e criador de todas as Descendências de vampiros.

O autor estará dia 10 de Junho na Feira do Livro do Porto na zona de "stands" da Presença.

quinta-feira, 12 de maio de 2011

O Regresso do Assassino

Título: O Regresso do Assassino
Autor: Robin Hobb
Tradução: Jorge Candeias
Edição: Saída de Emergência
Nº de páginas: 576

"Ele é um bastardo com sangue real.
Ele é um assassino com poderes malditos.
Ele é a única esperança para um reino caído em desgraça.
Atreva-se a entrar num mundo de perfídia e traição que George R. R. Martin apelidou de "genial". Atreva-se a acompanhar um herói que a crítica considerou "único". O Regresso do Assassino é o regresso da grande fantasia épica. Se está à espera de mais do mesmo, este livro não é para si. Caso contrário... bem-vindo a uma aventura que nunca irá esquecer!"

O cenário e a maior parte dos personagens são os comuns à Saga do Assassino, uma vez que a narrativa tem lugar quinze anos depois da estória que conseguiu apaixonar os leitores de fantasia um pouco por todo o mundo. Foi, por isso, com grande satisfação que me deixei levar uma vez mais pela mestria da autora e penetrei nos Seis Ducados para mais uma aventura.

Para todos os fãs da saga já mencionada, este regresso dos seus personagens e as novas viagens pelos seus mágicos e estranhos caminhos, são como um regresso a casa depois de muito tempo fora. É algo muito esperado, algo que nos agrada muitíssimo mas que de algum modo não nos preenche por completo pois, como em tudo na vida, nada é imutável. Não quero com isto dizer que não gostei, antes pelo contrário. Contudo, e talvez devido a expectativas demasiado elevadas, a leitura acabou por não ser aquilo que esperava.

Numa fase inicial, encontramos Fitz vivendo uma vida de eremita, numa cabana isolada, tendo por companhia apenas o seu lobo e Zar, o órfão que acabou por criar. A tão ansiada paz foi alcançada mas algo se agita no mais profundo ser do nosso protagonista e as visitas de Breu e do Bobo apenas conseguem acicatar esta nova inquietude que clama, mais uma vez, mudança. Estes primeiros capítulos são algo morosos para quem esperava mais acção. A autora opta por usar os momentos de introspecção de Fitz e as visitas dos seus antigos companheiros para nos pôr a par de tudo o que aconteceu nas vidas dos diversos personagens nos quinze anos que separam esta narrativa da Saga do Assassino. De algum modo isto tinha que ser feito e momentos há em que o reviver do passado é intrigante e até surpreendente, contudo são muitos capítulos muito parados em que a narrativa se arrasta quase sem acção.

Depois… bem, depois as coisas começam de facto a acontecer .

A Manha e os manhosos são de novo o centro das atenções de um povo que não tem, de momento, um inimigo externo a combater e Fitz é chamado a agir. Numa busca desesperada pelo herdeiro do trono, o príncipe Respeitador, Fitz acaba por se confrontar consigo mesmo e com os seus mais íntimos medos e desejos, acabando por sofrer fortes perdas e tendo que tomar decisões importantes para o seu futuro.

As duas semanas de busca são descritas, por vezes, de forma algo apressada enquanto que outras vezes se arrastam interminavelmente sem motivo aparente. A viagem acaba por nos parecer levar meses e o final, ainda que satisfatório, é bastante previsível. Penso que no fundo a descrição detalhada desta viagem apenas tem de positivo o facto de nos dar novos elementos sobre a Manha e os manhosos que, a meu ver, devem vir a ser um dos pontos centrais desta nova saga.

Concluindo, esperava um pouco mais da narrativa embora consiga antever uma continuação com maior acção e intriga dado que este volume parece ter servido, sobretudo, para colocar o leitor a par dos desenvolvimentos ocorridos em 15 anos de ausência de Fitz e para introduzir os novos personagens, bem como novos actores e cenários políticos possíveis. Ainda assim, adorei regressar aos Seis Ducados e penso que o mesmo acontecerá com todos os fãs desta autora. Aguardo com expectativa e muita curiosidade o próximo volume.
7/10